quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

...


Toca-me…
Faz-te melodia em mim…
Escuta-te!
(és capaz?)

1 comentário:

Helena C de Araujo disse...

Adoro poesia feita assim, de intenções que dispensam a infinidade de palavras...
Maravilhoso!