segunda-feira, 6 de abril de 2009

Poemar em dó(r) maior...


Vidas largadas ao vento
Sonhos rasgados à mão

Sentir, tornado tormento
E no peito, solidão
É mais do que um vendaval
Maior, que a “dor” de morrer
É no Mar, só haver sal
É só querer adormecer
Caem paredes, cai chão
Fica o céu em tom cinzento
Emudece o coração
Fica o sangue, sem alento
Falecem todas as flores
As árvores, desenraízam
São nossas, todas as dores
E no peito se eternizam
O sol arrefece, então
Da chuva, secam as gotas
Toda a gente é solidão
Nenhuma ave, está solta
E tudo isto acontece
Com a ”morte” de um Amor
O mundo todo estremece
Toda a Vida perde a cor
.......


Depois… é esperar o tempo
Da ferida cicatrizar
Deixar-se voar no vento
E pousar num outro Amar



(Para Ti, que como eu, navegaste em altas ondas num barquinho de papel...)

!Terra à Vista!

10 comentários:

frAgMenTUS disse...

Babes, li o nteu poema...triste...bem traçado...e musicado. De repente, e sem eu querer, humedeceram-se-me os olhos e pensei q o #everytime# está perfeito para o poema!
Há músicas, e palavras, q nos fazem viajar nas sendas do desamor mas olha, é necessário q ele exista, em dor maior, para q se conheça o seu oposto e para q saibamos, acima de tuo, reconquistar o amor-próprio, tão essencial, essa paz interior.
Reconquista-a, nem que seja por força da poesia e rodeia-te de quem te faz bem, tão somente pois positivo atrai positivo.
Sorri. Poeta. E sê feliz.
Fica bem, poetisa do (a)mar.
Bjs luz e paz

Secreta disse...

E se já avistam a terra , tudo vai terminar bem! Por vezes o sofrimento é grande , e quase sentimos não aguentar... mas no final , descobrimos que somos sempre mais forte do que aquilo que esperamos.
Beijito.

Pena disse...

Simpática Amiguinha:
Um poema doce. Lindo. Feito pela sua magia de encantar, mesmo sentindo um amor perdido.
As palavras são cristalinas, puras, fabulosas, de uma poetisa de Alma gigante inconformada pelo sonho belo vivido.
Que sensação de delícia ao leitor de acompanhar.
Uma sensibilidade poética admirável. Terna.
Beijinhos agradecidos e de imenso respeito pela sua visita extraordinária que adorei.
Maravilhado de deslumbre...

pena

Bem-Haja, amiguinha!

NK disse...

"Amor" é um presente dado sem esperança de retorno...no fundo...
e o que esperamos... é apenas que não seja rejeitado!!

gaivotadourada22 disse...

Um Poema onde a Poesia revela da dor o lado humano, a descoberta dos opostos, e o entendimento de que eternamente ciclicos, opostos complementares...é assim nosso navegar...é asim que vamos rumando para o Todo! Beijos Amiga! Teus Poemas são lindamente especiais!

the reason is you disse...

Muito muito bonito.


Também gosto de te ler!

:)

Beijinhos

Dois Rios disse...

Ah, Babes, quanto dos teus versos eu já vivi! Quanto das tuas dores eu já senti! Dói, minha querida! Eu bem sei como dói! Se ao menos essa maldita dor sangrasse...

Por outro lado é justo na tristeza que jorram os mais belos poemas. O seu não poderia ficar de fora. É tristemente belo.

Um grande beijo e uma Páscoa de muita paz e serenidade para você.

Meus carinhos,
Inês

susaninha disse...

Um amor perdido:(

Doí tanto que mais parece que o mundo acaba para quem está a sofrer, mas quando a cicatriz se cura a força renovada mostra-nos que amadurecemos mais fortes.

Que um anjo te ilumine

Beijinho

Peter Pan disse...

Linda e Extraordinária Amiga:
Cada dia que passa sinto mais e mais amizade e carinho por si e pelo que, ternamente, "constrói".
A minha amiga expressa-se com um gigante sentir e estar de encanto poético, ternura e beleza.
Bem-Haja. Tudo de felicidade junto da sua família.
Com respeito e imensa estima...
Sempre a fascinar por quem aqui passa...
Beijinhos e alegrias constantes.

p.p./Pena

Muita satisfação nesta época de "Evento Cristão" da Páscoa para si e para os seus. Merece amplamente.
Congratulo-me com a sua amizade preciosa que agradeço.

BEL disse...

Gosto tanto do que escreveste que me deixaste sem palavras, mas depois de um dia mau haverá um bem melhor

Beijinhos
Bel