quarta-feira, 4 de março de 2009

Tua!


Abandono-me, nua, ao toque do cetim
Viajo o pensamento na lembrança do teu corpo
E esboçam-se na pele montanhas de arrepio.
Fecho os olhos e quase te sinto…
O teu peso a navegar-me as ondas,
Os teus dedos sorrateiros nos rios da minha nascente,
Os teus lábios desejosos do sal deste Mar que é teu…
Assim fico, na espera do tempo que me separa de ser tua,
Até que a vida surja, vestida do teu corpo...
E o sol nasça no quarto!



(...Já vou ser todinha Tua...)

9 comentários:

martinha disse...

Perfeito
:)

fica bem
martinha

gaivotadourada22 disse...

Nossa...lindo...sesualidade em cada palavra e emoção... Uma Poesia que arrebata todos os sentimentos! Parabéns Poetisa! Que assim vestida a vida surja para você, e que o sol sempre esteja num nascer... Abraços!

Lúcia Machado disse...

:)

Mt bonito

susaninha disse...

Quando li o teu texto fiquei toda arrepiada,o desejo de tanto querer, que acaba por se sentir mesmo que só em sonho.Lindo ...


Beijinhos meus

mAg!C disse...

Agradecido pelo teu comentário!!!

Adorei o teu "espacinho".

Fica aqui um devaneio meu, para ti:

Nua...
Minha não és, minha não foste, minha serás!?!
Num abrir e fechar de olhos,
Brotam-se meus tristes olhos,
Esperando pelo futuro, esquecendo o que ficou para trás!

Um bem haja...

«mAg!C»

the reason is you disse...

Excelente!!

Secreta disse...

Gostei...muito!
:)
Beijito.
Bom fim de semana.

Fragmentos Intemporais disse...

Simplesmente divinal!

Palavras que nos fazem voar!

Exploradora disse...

Não acrescentaria nem mais uma virgula.

Beijos