terça-feira, 11 de novembro de 2008

É triste...


Triste, não é adormecer o passado
triste é olhá-lo com desprezo e fingir que não existiu

Triste, não é deixar de amar
triste é dizer que nunca se amou

Triste, não é procurar felicidade noutro sítio
triste é fingir que nunca lá se morou

Triste, não é dispensar a Ceia de Natal
triste é cuspir em todas elas

Triste, não é já não querer presentes
triste é dizer que com eles nos quiseram comprar

Triste, não é lutar por quem queremos
triste é fazer-lhes crer que são os primeiros

Triste, não é deixar de falar
triste é comportarmo-nos como se nunca tivessemos falado

Triste, não é desenlaçar as almas
triste é esquecer que temos uma

Triste, não é dizer adeus
triste é dizer adeus por escrito

Triste, não é deixar cair a lágrima
triste é não saber o que é a lágrima

Triste, não é deixar os outros sem palavras
triste é não termos palavras para lhes dizer

Triste, não é virar a cara aos afectos
triste é tratá-los como lixo

Triste, não é olhar à volta e ver o vazio
triste é saber que fomos nós que o fizemos

Triste, não é ficar sozinho
triste é perceber que mandámos todos embora

Triste (ou talvez não)
É saber que quem trata assim o passado
fará no futuro o mesmo... com o presente!!


3 comentários:

Anónimo disse...

Tanta tristeza, tanta angústia, tanta saudade, tanta, tanta amargura. para no Fundo de toda a tua tristeza, é que dizes que ainda amas...
Bjs do leãozinho

Anónimo disse...

Na minha forma de me compreender

Sem que tenhas de conselhos dar

Pois basta eu ler

Para eu, perceber...

Onde cheguei, onde quero chegar,

Quando no que escreves me oiço

falar...

NK

Nós disse...

PERFEITO! :|


beijinho
maria ana